onde andarão as manhãs nervosas
que alimentavam a alma
que traziam o desejo da eternidade

o vazio interior
obcecado por descobertas

onde andarão
os irmãos de mãos dadas
vociferando esperanças
acalentando as angústias

num vórtice ensandecido
de ilusões malfadadas
é aí que estão
é aí que estamos

gabriel fernando

Anúncios