Não exagere
Que o vento está aí há bilhões de anos
E o Sol não te enxerga no teu efêmero tempo
A terra não te sentirá o passo
Nesse espaço-tempo infinito
Teu pó não é nada
Embora tenha vindo de tudo
– do todo
Não exagere
Que teu tempo é vazio
É pequeno, é curto
Não cabe teu passo além do horizonte
Não te passam dias além da tua morte
Não exagere
Que tua letra é pequena
Tua palavra é curta
Tua voz é um sussurro

Anúncios