tua distância na manhã
é eterna, e te persigo
sem braços

teus olhos encabulam
um qualquer amanhecer
que já não posso ver

tua voz ressoa
lembrança de manhã fugidia
que não foge

a pele, o deitar, o despertar
tudo na memória
e eu, já sem olhos

para outro viver

Anúncios