para a vida,
aquilo que respira
não há opção
senão viver

da morte
trago único e último
nem retrato, nem poesia
é um ponto final

fora do papel